Brazi JN Rapidão
Música

As 21 canções com os mais belos versos da música brasileira

As mais votadas foram reunidas em uma playlist, disponível no Spotify.

13/06/2020 10h07
Por: Lameck Valentim
Fonte: Revista Bula

Por Helena Oliveira

 Enquanto a maioria das músicas apenas nos faz querer desligar o volume, outras reavivam memórias, emocionam, trazem conforto ou aguçam nossa consciência política. São composições que, mesmo se não estivessem acompanhadas de melodia, seriam pura poesia. Para descobrir as mais belas canções do cenário brasileiro, a Bula realizou uma votação com os leitores no Twitter. Aproximadamente 3 mil pessoas participaram da enquete.

 As 21 mais votadas foram reunidas em uma playlist, disponível no Spotify. Além disso, os trechos de cada música foram destacados abaixo. Entre as mais lembradas, estão “O Mundo é Um Moinho”, de Cartola; “O Quereres”, de Caetano Veloso; e “Chão de Estrelas”, de Orestes Barbosa e Silvio Caldas.  Para ouvir a seleção no Spotify, é necessário possuir registro do aplicativo e fazer o login. Há opção de assinatura gratuita.

 Clique no link para ouvir: As 21 canções com os mais belos versos da música brasileira

 1 — Drão (Gilberto Gil)

O amor da gente é como um grão
Uma semente de ilusão
Tem que morrer pra germinar
Plantar nalgum lugar
Ressuscitar no chão
Nossa semeadura
Quem poderá fazer
Aquele amor morrer!
Nossa caminhadura
Dura caminhada
Pela estrada escura

 

2 — O Mundo é um Moinho (Cartola)

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
Vai reduzir as ilusões a pó

 

3 — O Ciúme (Caetano Veloso)

Dorme o Sol à flor do Chico, meio-dia
Tudo esbarra embriagado de seu lume
Dorme Ponte, Pernambuco, Rio, Bahia
Só vigia um ponto negro: o meu ciúme
O ciúme lançou sua flecha preta
E se viu ferido justo na garganta
Quem nem alegre, nem triste, nem poeta
Entre Petrolina e Juazeiro canta
Velho Chico vens de Minas
De onde o oculto do mistério se escondeu
Sei que o levas todo em ti, não me ensinas
E eu sou só eu, só eu, só, eu

 

4 — Pedaço de Mim (Chico Buarque)

Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

 

5 — Léo e Bia (Oswaldo Montenegro)

No centro de um planalto vazio
Como se fosse em qualquer lugar
Como se a vida fosse um perigo
Como se houvesse faca no ar
Como se fosse urgente e preciso
Como é preciso desabafar
Qualquer maneira de amar varia
E Léo e Bia souberam amar
Como se não fosse tão longe
Brasília de Belém do Pará
Como castelos nascem dos sonhos
Pra no real, achar seu lugar

 

6 — O Quereres (Caetano Veloso)

Eu queria querer-te amar o amor
Construir-nos dulcíssima prisão
Encontrar a mais justa adequação
Tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e de viés
E vê só que cilada o amor me armou
Eu te quero (e não queres) como sou
Não te quero (e não queres) como és

 

7 — Como Nossos Pais (Belchior)

Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor
É uma coisa boa
Mas também sei
Que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa

 

8 — Terra (Caetano Veloso)

De onde nem tempo, nem espaço
Que a força mande coragem
Pra gente te dar carinho
Durante toda a viagem
Que realizas no nada
Através do qual carregas
O nome da tua carne…

 

9 — E Vamos à Luta (Gonzaguinha)

Eu acredito
É na rapaziada
Que segue em frente
E segura o rojão
Eu ponho fé
É na fé da moçada
Que não foge da fera
E enfrenta o leão

 

10 — Clube da Esquina II (Milton Nascimento, Lô e Márcio Borges)

Por que se chamavam homens
Também se chamavam sonhos
E sonhos não envelhecem
Em meio a tantos gases lacrimogêneos

 

11 — Carinhoso (João de Barro e Pixinguinha)

Meu coração, não sei por que
Bate feliz quando te vê
E os meus olhos ficam sorrindo
E pelas ruas vão te seguindo
Mas mesmo assim foges de mim

 

12 — Metade (Oswaldo Montenegro)

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio

 

13 — Chão de Estrelas (Orestes Barbosa e Silvio Caldas)

A porta do barraco era sem trinco
E a Lua furando nosso zinco
Salpicava de estrelas nosso chão
E tu, tu pisavas nos astros distraída
Sem saber que a ventura dessa vida
É a cabrocha, o luar e o violão

 

14 — Rosa (Pixinguinha)

Tu és divina e graciosa
Estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor
Da alma da mais linda flor
De mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor

 

15 — Asa Branca (Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga)

Quando o verde dos teus olhos
Se espalhar na plantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração

 

16 — Eu te Amo (Tom Jobim e Chico Buarque)

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir,
se ao te conhecer, dei pra sonhar,
fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

 

17 — Aquarela (M. Fabrizio, G. Morra, Toquinho e Vinicius de Moraes)

Um menino caminha
E caminhando chega no muro
E ali logo em frente a esperar
Pela gente o futuro está
E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda nossa vida
E Depois convida
A rir ou chorar

 

18 — Sangrando (Gonzaguinha)

Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
Que palavra por palavra
Eis aqui uma pessoa se entregando
Coração na boca
Peito aberto
Vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida
Que eu estou cantando

 

19 — Sabor Açaí (João Gomes e Nilson Chaves)

E tua fruta vai rolando
Para os nossos alguidares
Tu te entregas ao sacrifício
Fruta santa, fruta mártir
Tens o dom de seres muito
Onde muitos não têm nada

 

20 — Todo Amor Que Houver Nessa Vida (Cazuza e Frejat)

Eu quero a sorte de um amor tranquilo
Com sabor de fruta mordida
Nós, na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nesta vida

 

21 — O Que É, o Que É? (Gonzaguinha)

Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias