Samuel Valentim
Brazitaly
Superação

‘‘Eu venci a COVID-19 e agora posso abraçar meu filho de novo’’, conta Francymar Gomes

Oeirense conta como foi enfrentar a doença.

14/07/2020 18h10
Por: Lameck Valentim

Sábado, 27 de junho de 2020, o dia em que descobri que estava com a COVID-19. Tudo começou quando uma equipe veio à minha casa e pela honra e glória de Deus, eu fui a escolhida para realizar o teste. Ainda lembro-me de tudo, do nervosismo do meu filho, o olhar  apreensivo do meu irmão e a minha ansiedade para o resultado. Para nossa tristeza testei positivo e não sabia como seria a partir dali, tive que ficar isolada e tentar me manter calma, para não assustar ainda mais o João que àquela altura já chorava muito.

O fim de semana foi de oração já que teria que fazer a contra prova na segunda-feira e no fundo do meu coração eu clamava ao meu senhor para que fosse um falso positivo.

Dia 30 de junho, segunda-feira, realizei o segundo teste, e infelizmente foi confirmado, e o meu coração parecia que ia quebrar de tão apertado que estava. Mas a pior parte ainda estava por vir:  voltar pra casa, entrar no meu quarto e dizer ao meu filho, por meio de uma mensagem que por alguns dias ele teria que ficar sem a mamãe e tentar acalmá-lo sem poder abraçá-lo.

Mas em cada detalhe eu conseguia enxergar o agir de Deus!!

Nos primeiros dias chorava muito, pois a sensação da incerteza era enorme, eu não sentia sintomas, mas tinha muito medo deles surgirem no decorrer dos dias. Minha maior preocupação era de ter contaminado alguém, mas Deus é tão misericordioso que não deixou que isso acontecesse.

Chegou outro momento que muito me preocupava e me deixava angustiada que era falar com meus pais. Foi difícil porque até então eles não acreditavam tanto na doença e quando ouvi o meu pai chorar na ligação e dizer que por ele não acreditar, ela (doença) já estava bem perto de nossa casa, meu coração se  quebrou em pedaços. Em seguida, ele disse: "Minha filha tente se acalmar , eu, sua mãe , seus irmãos e principalmente seu filho precisamos de você". O meu pai nem sabe, mas aquelas palavras me ajudaram a passar por tudo isso bem mais forte.

Todos os dias meus tios (as) primos (as) me ligavam, me mandavam mensagens e tudo isso trazia conforto ao meu coração. À vocês, minha eterna GRATIDÃO. O amor que sinto por cada um é muito grande! Costumo sempre dizer que Deus nos envia anjos para tornar mais leve os nossos fardos, e costumamos chamar esses anjos de amigos. Sim, amigos!! Porque durante 14 dias, fui surpreendida com o GRUPO #AMOR DE MÃE, que me deu toda a atenção do mundo e não me deixaram passar por isso sozinha.  A cada dia uma ficava responsável pelo meu almoço, e elas são tão atenciosas que também enviavam refeições para meu filho e o meu irmão. Ah, mamães!!! Em cada cuidado e carinho eu via Deus em vocês. Não imaginam o quanto a MINHA FAMÍLIA está grata por tudo que fizeram por nós!

Meu João, agora vou falar de você. Sim, me manter longe do serzinho que é o meu companheiro de todas as horas foi, sem dúvidas, o mais doloroso. Quem nos conhece sabe que somos muito grudados, dividimos o mesmo quarto, assistimos e fazemos tudo juntos, só que durante todos esses dias esse cenário mudou. Ah, como dói lembrar de tudo isso. Ele passou a ter uma rotina diferente, de dar meu café da manhã, o almoço, lanche e janta e sempre muito atento a mim. Isso fez com que tivesse mais admiração pelo bom filho que Deus me confiou. Usamos uma estratégia de deixar uma cadeira na porta do meu quarto pra ele colocar todas as refeições, era tudo muito estranho, pois quando eu abria a porta ele já não estava mais ali, afinal ele já sabia que por todos aqueles dias, teria que ser assim.

Quantas mensagens ele me mandava e dizia que estava com saudade de mim, que queria tanto dormir comigo, me abraçar e me beijar... É triste tudo isso, né?  mas foi pelo bem dele! 

Em relação aos seus estudos eu ficava tranquila, pois ele é responsável, iria dar conta de tudo.

Todos os dias antes dele dormir, me dizia assim: "Boa noite mamãe, eu te amo muito e logo, logo todo esse pesadelo vai passar e eu estou rezando por você!”.

 Te Amo meu João, você irá brilhar muito e, com a sua sonhada profissão, irá ajudar muita gente. Eu creio!

 Por ter ansiedade e um lado emocional não muito bom, essa era umas das maiores preocupações de todos, por ter que me isolar de tudo, mas consegui me controlar com ajuda dos meus familiares, amigos e profissionais da saúde.

À minha família, pais, irmãos, meu filho, eu não tenho palavras para agradecer e dizer  o quanto vocês são importantes e o quanto EU os amo verdadeiramente!

Nesses dias, o meu irmão  foi meu porto seguro nesta missão de cuidar, zelar e dar toda a atenção para o meu filho na minha "ausência" e cuidou também de mim com toda a paciência.

Meu coração é só gratidão.

 Neste momento eu rogo à Deus que abençoe os enfermos e familiares do nosso Brasil.

 Deus cuidou de mim todos esses dias e o seu amor por mim é grande, não senti nenhum sintoma e recebi dos que amo várias provas de amor. Obrigada, meu Pai!

 Eu venci mais essa batalha!! A fé e o amor foram o melhor remédio para a minha cura!

Eu venci a COVID-19 e agora posso abraçar meu filho de novo, esse é o meu maior presente!

 

9comentários
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias