Brazitaly
Samuel Valentim
DIA DO PIAUÍ

Dia 19 de Outubro – Dia do Piauí: Um pouco da história da “Terra querida, filha do sol do Equador”

O dia 19 de Outubro de 1822 marca, oficialmente, o início do movimento libertário no Piauí.

18/10/2020 18h16
Por: Lameck Valentim

O dia 19 de Outubro de 1822 marca, oficialmente, o início do movimento libertário no Piauí. Foi quando parnaibanos, liderados por Simplício Dias da Silva, declararam a província independente de Portugal, mas leal ao príncipe Dom Pedro, filho de Dom João VI, que ao partir de volta para Lisboa deixou-o responsável pelos negócios do reino em terras brasileiras.

Comemora-se nesta data o Dia do Piauí, marcado no calendário estadual por força da Lei Estadual, nº176, aprovada pela Assembleia Legislativa, de autoria do deputado José Auto de Abreu. A criação de um dia para o Piauí àquela época, como ainda hoje, provoca discussões sobre qual realmente é o dia mais importante na história da antiga província.

O 19 de Outubro, segundo os historiadores que defendem ser Parnaíba o centro irradiador das ideias de liberdade, coloca sobre as cabeças de Simplício Dias da Silva e do juiz  João de Deus e Silva os louros da independência e deixam em plano inferior os passos seguintes do movimento, registrados, principalmente em Oeiras e Campo Maior.

Rico fazendeiro, dono de navios e de centenas de escravos, Simplício Dias da Silva, cujo corpo foi sepultado no altar da Igreja de Nossa Senhora das Graças, no Centro de Parnaíba, proclamou a independência, mas não teve como sustentá-la. Diante da ameaça de invasão da  cidade pelas tropas do comandante português João José da Cunha Fidié, governador das armas do Piauí, Simplício Dias refugiou-se com seus seguidores na cidade cearense de Granja, deixando Parnaíba livre para a entrada das tropas inimigas.

 Discussão

 O 24 de Janeiro de 1823, na opinião de muitos, é o verdadeiro dia do Piauí. Esta data é uma alusão à aclamação da independência em 1823, na então capital da Província, Oeiras, pelo brigadeiro Manoel de Sousa Martins, sendo imediatamente reconhecido como presidente da província e assumindo a responsabilidade por sua administração.

A Simplício Dias da Silva, de Parnaíba, faltou o poder, embora tenha sido o primeiro a se manifestar publicamente pelo rompimento com Portugal.

A Batalha do Jenipapo, no dia 13 de Março de 1823, é outra data importante da história do Piauí. Em 1823, nesse dia, houve a Batalha do Jenipapo, em Campo Maior. Tropas portuguesas, comandadas pelo tenente-general João José da Cunha Fidié, que antes de ser enviado ao Brasil participara de várias lutas na Península Ibérica, defendendo seu país, Portugal, entraram em luta contra piauienses e cearenses que defendiam a independência, às margens do Rio Jenipapo. O 13 de Março é, por sinal, a data que está na Bandeira do Piauí.

O Piauí é, portanto, um estado com três datas para uma mesma história.

 Turismo e Cultura

 Além das suas histórias de lutas e conquistas, o Piauí é um Estado cheio de riquezas.

Construída há mais de três séculos, a cidade de Oeiras se desenvolveu ao redor da matriz de Nossa Senhora da Vitória. Inicialmente foi conhecida como Vila da Mocha, por estar localizada às margens do riacho Mocha. Teve seu nome modificado para homenagear o Conde de Oeiras, futuro Marquês de Pombal, o todo poderoso ministro da corte portuguesa do Rei D. José.

A cidade foi designada capital da província do Piauí em 1758 permanecendo como centro das decisões políticas até 1852, quando então a sede do governo foi transferida para Teresina. Depois deste período, a cidade prosperou principalmente com a criação de gado, mas guardou um patrimônio histórico dos mais valiosos, com seus casarões coloniais e monumentos dos séculos 18 e 19 que remontam à colonização do Piauí.

Amarante teve sua origem na Vila de São Gonçalo, onde hoje fica localizada a cidade de Regeneração. No ano de 1861 sua sede Municipal e Paroquial foi transferida para o Porto de São Gonçalo do Amarante localizado às margens do rio Parnaíba. Após a transferência da sede para o Porto a cidade passou por um período de progresso e desenvolvimento comercial, graças ao rio Parnaíba, que era a principal via de transporte entre o litoral e o interior do Estado. E devido ao rápido desenvolvimento comercial, em 1871, a Vila foi elevada à categoria de Cidade, com o nome de Amarante.

As belezas naturais são algumas das riquezas do Piauí. Uma das mais bonitas é o Canyon do Rio Poti, um desfiladeiro formado por uma falha geológica com mais de 60m de altura, originando sem estranhas e belas formas, chegando a formar cavernas e abrigos naturais.

No Município de Piracuruca encontra-se o Parque Nacional de Sete Cidades, sete conjuntos de formações rochosas que se assemelham a Cidades, com ruas, casas, prédios, monumentos e praças, com alturas entre 4 a 120m que cobrem uma extensão de 20Km.

Em São Raimundo Nonato na parte sudeste do estado, encontra-se rico acervo de arte rupestre e materiais de origem orgânica formando o Parque Nacional Serra Capivara.

No Parque Ecológico da Cachoeira do Urubu, além das quedas d’água formada  pelo Rio Longá, pode-se observar a “Piracema”,entre abril e maio, quando os peixes sobem a correnteza para a desova.

Em Cristino Castro encontram-se os Poços Jorrantes, que espirram suas águas em alturas de até 60m, formando piscinas de água corrente.

É o estado litorâneo com menor extensão de costa, apenas 66 km. Esse pequeno trecho, porém, é privilegiado. Na fronteira com o Maranhão, a oeste, fica o delta do rio Parnaíba, o único em mar aberto das Américas. Seu ecossistema lembra o da Amazônia, com inúmeras ilhas, lagoas, igarapés e praias de areia fina, tomadas por dunas e coqueiros.

Mas a maior parte do território piauiense está sob a ação do clima semiárido. E Teresina, às margens do rio Parnaíba, é a única das capitais nordestinas que não está localizada à beira-mar. Isso se deve à colonização. Ao contrário do resto do Nordeste, o estado foi ocupado do interior para o litoral. Em toda essa região predomina o clima semiárido, com longos períodos de seca e vegetação de caatinga. Essas condições climáticas reforçam uma economia baseada na agricultura de subsistência, na criação extensiva de gado, feita em grandes latifúndios e no extrativismo de carnaúba e babaçu.

O Hino Do Piauí 

Composição do poeta Antônio Francisco da Costa e Silva, com música de Firmina Sobreira Cardoso e Leopoldo Damascena Ferreira, o hino do Piauí foi composto na ocasião do centenário da Independência do Brasil e foi adotado pela Lei 1078 de 18 de julho de 1923.

 

Salve terra que aos céus arrebatas
Nossas almas nos dons que possuis:
A esperança nos verdes das matas,
A saudade nas serras azuis.

Piauí, terra querida,
Filha do sol do equador,
Pertencem-te a nossa vida,
Nosso sonho, nosso amor!
As águas do Parnaíba,
Rio abaixo, rio arriba,
Espalhem pelo sertão
E levem pelas quebradas,
Pelas várzeas e chapadas,
Teu canto de exaltação!

Desbravando-te os campos distantes
Na missão do trabalho e da paz,
A aventura de dois bandeirantes
A semente da Pátria nos traz.

Piauí, terra querida,
Filha do sol do equador,
Pertencem-te a nossa vida,
Nosso sonho, nosso amor!
As águas do Parnaíba,
Rio abaixo, rio arriba,
Espalhem pelo sertão
E levem pelas quebradas,
Pelas várzeas e chapadas,
Teu canto de exaltação
Sob o céu de imortal claridade,
Nosso sangue vertemos por ti,
Vendo a Pátria pedir liberdade,
O primeiro que luta é o Piauí.

Piauí, terra querida,
Filha do sol do equador,
Pertencem-te a nossa vida,
Nosso sonho, nosso amor!
As águas do Parnaíba,
Rio abaixo, rio arriba,
Espalhem pelo sertão
E levem pelas quebradas,
Pelas várzeas e chapadas,
Teu canto de exaltação

Possas tu, no trabalho fecundo
E com fé, fazer sempre melhor,
Para que, no concerto do mundo,
O Brasil seja ainda maior.

Piauí, terra querida,
Filha do sol do equador,
Pertencem-te a nossa vida,
Nosso sonho, nosso amor!
As águas do Parnaíba,
Rio abaixo, rio arriba,
Espalhem pelo sertão
E levem pelas quebradas,
Pelas várzeas e chapadas,
Teu canto de exaltação

Possas Tu, conservando a pureza
Do teu povo leal, progredir,
Envolvendo na mesma grandeza
O passado, o presente e o porvir.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias